+ 1 (305) 445-1341
Latin American Agribusiness Development Corporation S.A.

Latin American Agribusiness Development Corporation S.A.

Local Knowledge Focus Flexibility

Carta aos Acionistas - 2020

Foi há mais de meio século que a ideia da LAAD foi concebida por dois estranhos casualmente sentados lado a lado em um voo de oito horas da Europa para os Estados Unidos. Paul Cornelsen, executivo sênior da Ralston Purina Company, e William H. Bolin, vice-presidente do Bank of America responsável pela América Latina, descobriram que tinham muito em comum durante aquele voo em 1968.

Paul estava voltando para casa depois de não conseguir convencer a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) de que, “financiando esforços privados em toda a cadeia”, eles poderiam apoiar projetos e, ao mesmo tempo, desenvolver o mercado. Quando chegaram a Chicago, concluíram que seria um projeto vantajoso para uma série de grandes empresas interessadas no agronegócio latino-americano que formassem uma corporação. Essa corporação forneceria recursos financeiros para o desenvolvimento agrícola do setor privado na região, determinando primeiro a demanda do mercado e, em seguida, criando produtos para atender a essa demanda. Durante vários meses, eles mantiveram reuniões e telefonemas com CEOs, vendendo sua ideia de financiar sua própria empresa de desenvolvimento. Como resultado desses esforços, Bank of America e Ralston Purina - juntamente com Adela Investment Co., Borden Inc. International, Caterpillar Tractor Co., Cargill Foundation, CPC International Inc., Deere & Co., The Dow Chemical Co., Gerber Products Co., Monsanto Co. e Standard Fruit & Steamship Co. - investiram US$ 200.000 cada, totalizando US $ 2 milhões em capital inicial para um empreendimento que chamariam de “Latin American Agribusiness Development Corporation”. A missão da LAAD era simples: “Promover o desenvolvimento econômico e social da América Latina por meio do financiamento de empresas privadas do agronegócio” que produziam produtos agrícolas para exportação, criando empregos rurais e divisas.

A primeira reunião do Conselho de Administração da LAAD foi realizada em 26 de janeiro de 1970, no The University Club na cidade de Nova York, onde o Sr. Donald J. Kirchhoff, presidente da Standard Fruit & Steamship Co., foi nomeado presidente do conselho. O momento foi fortuito, já que Kirchhoff havia recentemente se comprometido a participar de um empreendimento organizado por Thomas W. Mooney, ex-representante da Adela Investment Co. para a América Central. O Sr. Mooney estava em negociações com a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) para obter um empréstimo de longo prazo para a criação de uma empresa de desenvolvimento semelhante na América Central. Como os dois esforços eram complementares, o Sr. Kirchhoff trouxe o Sr. Mooney a bordo. A USAID concedeu à LAAD um empréstimo de 20 anos de US$ 6 milhões, estabelecendo uma parceria na qual se tornou a principal fonte de financiamento da LAAD nas duas décadas seguintes. Em 1990, o portfólio da LAAD totalizou US$ 45,4 milhões, criou 27.000 empregos e atingiu um retorno anual de 9,5% sobre um patrimônio líquido de US$ 17 milhões.

A década de 1990 trouxe muito crescimento para a América Latina por meio do Tratado de Livre Comércio (TLC) e oportunidades para investimentos privados. A presença da LAAD aumentou na região com a abertura de novos escritórios no Peru, Equador e Chile. A LAAD também decidiu fortalecer o financiamento após usar o último dos fundos da USAID. Isso foi conseguido por meio de bancos comerciais, consorciações, instituições multilaterais e bilaterais, US$ 15 milhões de 936 fundos fiscais dos EUA e a primeira emissão de títulos da LAAD. A LAAD conseguiu levantar US$ 100 milhões no mercado aberto durante a década. Em 2000, o portfólio da LAAD totalizou US$ 105,8 milhões, criou 47.000 empregos e alcançou um retorno anual sobre o patrimônio líquido de 11,1% sobre um patrimônio líquido de US$ 38 milhões.

A expansão da LAAD continuou na década de 2000. Foram abertos escritórios no Uruguai e no Brasil e reabertos na Nicarágua e Peru, incorporando profissionais qualificados em todos os níveis. Em sua quarta década, a LAAD obteve empréstimos de US$ 78 milhões de instituições multilaterais, dois empréstimos sindicalizados (US$ 5,2 milhões do Bank of America e US$ 100 milhões do Rabobank) e emprestou US$ 172 milhões de bancos comerciais. Com uma equipe de gestão experiente e bem informada e parcerias crescentes, a LAAD foi capaz de superar os desafios trazidos pela crise financeira global em 2008. Em 2010, a LAAD tinha uma carteira de US$ 309,5 milhões, criou 120.000 empregos e alcançou um retorno anual de 10,8% sobre um patrimônio líquido de US$ 87,5 milhões.

A quinta década da LAAD começou após a crise financeira e terminou em meio a uma pandemia global que mudou o mundo e a forma como os negócios são conduzidos. O que continua sendo verdade é a crença de que "é tudo sobre as pessoas". Ao longo de cinco décadas, a LAAD não apenas cresceu em meio às adversidades, mas também trabalhou para apoiar suas comunidades em momentos de necessidade. A LAAD se tornou mais próxima dos clientes ao estabelecer e aumentar sua presença local nos últimos dez anos, entendendo que o compromisso com esses relacionamentos é o que diferencia a LAAD.

Começamos nossa sexta década com um ambiente global em constante mudança e numerosos desafios que exigem perseverança inabalável e grande engenhosidade. Há um ano, em nossa carta aos acionistas, escrevemos: “A LAAD obtém sua capacidade de superar desafios do caráter e da competência de seu pessoal.” Na época, ninguém poderia imaginar que o maior desses desafios seria uma pandemia mundial que mudaria radicalmente nossas vidas. O ano fiscal já havia começado de forma difícil com os eventos ocorridos no final do ano fiscal anterior, incluindo manifestações sociais no Equador, Chile e Colômbia, bem como distúrbios políticos no Peru. No segundo trimestre, o surto da pandemia do Coronavírus mudou drasticamente a vida como a conhecíamos em todo o mundo. As economias entraram em recessão, o desemprego aumentou a níveis impensáveis, os trabalhadores não essenciais foram forçados a ficar em casa, as empresas e as famílias passaram por graves dificuldades financeiras e a cadeia de abastecimento alimentar foi interrompida. Para a comunidade global, foi um ano de angústia e dificuldades constantes.

Em nossa própria família LAAD, experimentamos a angústia da incerteza, a frustração da impotência e a tristeza da perda. Do ponto de vista dos negócios, como a LAAD opera em uma região constantemente afetada por turbulências políticas, questões sociais, desafios econômicos e eventos climáticos extremos, acreditávamos estar preparados para qualquer adversidade. A verdade é que, por mais experientes e proativos que possamos ser, ninguém estava pronto para enfrentar uma pandemia dessa magnitude. No entanto, o compromisso contínuo referido na mensagem do ano passado desempenhou um papel fundamental na navegação por esses tempos sem precedentes: apresentamos a melhor versão de nós mesmos e superamos juntos esse período difícil.

O ano passado, 2020, marcou meio século de existência da LAAD e o cumprimento de nossa meta de longa data de atingir US $ 1 bilhão em empréstimos. A empresa apresentou excelentes resultados financeiros, considerando os desafios impostos pela pandemia COVID-19 e o cenário político instável. O lucro líquido foi 11,1% superior ao do ano anterior. O portfólio da LAAD totalizou US$ 1.049,5 milhões e atingiu um retorno anual de 13,2% sobre um patrimônio líquido de US$ 222,5 milhões. O crescimento da carteira de crédito em comparação com o ano anterior foi de 8,5%, um resultado notável dada nossa decisão cautelosa de apoiar apenas os clientes existentes devido à incerteza geral e às preocupações de liquidez trazidas pela pandemia. Durante 2020, fomos capazes de atender todos os nossos clientes existentes que precisavam de ajuda, e nosso financiamento resultou na criação de 4.871 empregos de tempo integral e 4.787 empregos de meio período.

A pandemia nos impediu de comemorar esses marcos importantes com a pompa e as circunstâncias que imaginamos, mas ainda somos imensamente gratos e humildemente apreciamos nosso sucesso conquistado a duras penas. De uma perspectiva não financeira, nos sentimos abençoados e afortunados por continuar nossa missão de assistir e apoiar projetos de agronegócio em seu papel de alimentar o mundo, mesmo em meio à pandemia. Por último, mas não menos importante, em um ano em que o desemprego disparou na América Latina e no resto do mundo, todos os funcionários da LAAD continuaram sendo parte de nossa família e até recebemos novos membros para apoiar nosso crescimento.

O ponto central da missão da LAAD é criar um impacto sustentável para pequenos e médios agricultores na América Latina. Reconhecemos a importância de transformar a agricultura em uma atividade sustentável e resiliente que enfrente os desafios sociais, ambientais e econômicos impostos pela mudança climática e pelo crescimento da população global. Várias iniciativas estão sendo desenvolvidas, incluindo a criação de um “Green Finance Framework” para empréstimos e títulos verdes, que alinha nossos objetivos com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Estamos trabalhando em estreita colaboração com nossos clientes e parceiros na transição para um setor de agricultura sustentável e inteligente.

Aproveitando seu histórico de 50 anos, experiência, inteligência de mercado, presença regional e relacionamento com as partes interessadas, a LAAD criou a Unidade de Negócios Estratégicos (SBU) para desenvolver e capturar oportunidades adicionais ao longo da cadeia de valor do agronegócio por meio de três novas plataformas. Isso permitirá que a LAAD forneça aos clientes soluções de mitigação de risco para fortalecer seus negócios principais existentes, alcançar um universo mais amplo de agricultores e oferecer soluções financeiras corporativas inovadoras para empresas de médio porte. Estamos trabalhando em um novo sistema com tecnologia de ponta que ajudará a implementar essas iniciativas.

No final do dia, “é tudo sobre pessoas”. Os valores que definem nossa cultura corporativa são a base e o roteiro para nos esforçarmos para fazer o nosso melhor. A resiliência do nosso pessoal, adaptando-se à nova realidade, abraçando as comunicações virtuais e agindo com integridade em todos os momentos, foram fundamentais para alcançar o sucesso conquistado com tanto esforço neste ano.

Para encerrar, gostaríamos de agradecer a cada membro da família LAAD por alcançar resultados incríveis durante um dos piores períodos da história global. A LAAD é hoje uma instituição melhor graças aos nossos esforços coletivos. Somos mais fortes porque superamos adversidades inimagináveis. O ano de 2021 será, sem dúvida, de muitos desafios, mas com o nosso compromisso renovado de dar o nosso melhor, teremos mais um ano de muito sucesso. Temos muito orgulho em homenagear nossos fundadores, que acreditaram que desenvolvimento e lucro, geralmente considerados opostos, são de fato bastante compatíveis.

Gustavo Martinez Cappetta
Gustavo Martinez Cappetta

Ben Fernandez III
Benjamin Fernandez III